Arquivo da tag: Chapolin

Infância, “amigos”, amigos e mendigos

Eu percebi que eu tenho problemas para manter amigos.

Não que nem todo mundo diz aaah, eu sou inconstante e indie blablabla me canso das pessoas blablabla sou trouxa mesmo blablabla. Não, amigos. Sou do tipo que um dia tá por ai saltitando com o amiguinho e meses depois pensa “OPA, cadê o Fulano?”. Bom, o Fulano cansou de esperar que você respondesse os sms, emails, mensagens no msn, scraps no orkut e telegramas, dai ele está vivendo a vida dele igualzinho você estava fazendo, só que ele tem noção de que você esqueceu dele, enquanto você só lembrou 6 meses depois, sua linda.

É, eu sou dessas.

Isso me lembra meus amigos na 1ª série. Mentira, eu não tinha amigos na 1ª série. Sem brincadeira, minha “amiga” (Daiane, nunca esquecerei seu nome, bitch) andava comigo porque eu levava mini coxinhas (é, daquelas de festa) como lanche. Eu não gostava de comer as coxinhas, dai ela comia tudo e na metade do recreio ela ia brincar com as outras crianças… As crianças legais e bonitas, as crianças que não eram uma das mais altas da sala ou que a mãe fazia um coque no topo da cabeça porque tinha preguiça de arrumar o cabelo da filha. Yes, I was that girl.

Além de ser a menina muito alta com um coque muito alto, eu era a menina que nunca tinha brincado na rua. Fui criada, até os 9 anos, pela TV e pelo computador. Btw: Quando minha mãe ia limpar a casa, ela colocava minha TV 14’ no quintal, em cima de uma mesinha que eu tinha, ligada numa extensão que ia na tomada lá dentro. Daí, enquanto eu assistia TV, as vezes, passavam uns mendigos na calçadas e resolviam que havia muito tempo que não assistiam Chaves e Chapolin, daí eles sentavam na calçada e ficavam assistindo TV. É, eu tinha amigos especiais. Isso que dá criar uma criança em Osasco.

Antes eu precisava ir até o portão, mas agora o YT faz todo o trabalho da TV da Isa

Na verdade eu era uma criança especial. Isso, na verdade quer dizer que quando eu vi a minha “amiga” chamando a faxineira de “tia”, eu achei que a faxineira realmente fosse tia dela. HOW AWESOME WAS I?

Mas nem tudo foi tão deprimente assim, ainda na 1ª série eu tive uma discussão “minha mochila é mais legal que a sua”, com a outra menina muito alta da minha sala, que consistia em falar “filha da puta” sem entender exatamente o que significava.

E eu ainda tinha tempo para ser a melhor aluna da sala (sério.).

Meu reinado de melhor aluna da sala durou até a 8ª série, ano que eu estava numa escola particular e conheci um dos meus amigos mais importantes until today. Ele era o Gian, eu era a Isa e nós éramos conhecidos como “a dupla”. Não só nós ficamos conhecidos na escola como nossas mães também. Good times. Virei rebelde e só sai dessa aos 17, quase 18. Ou durou até os 18, quase 19… Talvez até agora, aos 20. Don’t really know.

Anyway, como eu disse no começo: não sei manter amigos. O Gian é um exemplo. Meu outro amigo dessa época, o Felipe, também é outro exemplo. Fora o pessoal do colegial, eu fui pra escola estadual pra não repetir de ano, então fiz novos amigos awesome. E fiz inimizade com uma professora de biologia, só porque pedi para ela descontar a TPM no marido e no filho, não em mim. Viu, eu disse que era uma rebelde fuck yeah.

Ok, meus exemplos de amigos “esquecidos” não foram bons. 90% das pessoas perde contato com os BFF da escola. Eu tenho amigos que eu esqueço sem querer, que são atuais e eu curto mto ta ligado, mas que meu cérebro babacão tem fadiga de manter contato, I guess that’s because people change. Não sei, só to chutando. Eu realmente fico meio nhé quando vejo meus amigos mudando (ou eu mudo e o individuo continua na mesma de sempre), sei la, eu gosto de ter um mínimo de sincronia com meus amigos. Mas isso é bullshit, and do you know why? Porque eu não tenho nenhum amigo, que eu converse todo dia, que eu conheça a mais de dois anos.

Eu tenho o namorado, que é, atualmente, meu melhor amigo em conjunto com mais duas pessoas. Muita gente acha idiota e arriscado ser tão amigo do namorado(a), e sabem o que eu acho dessas pessoas? Go suck some dick. And the balls. Please don’t forget the balls.

Por favor?

 

Mas isso é conversa para outro post.

 

5 Comentários

Arquivado em Domingando, ME AMEM, Wait... What?