Arquivo da tag: crianças

Relacionamentos, zumbis e pentelhos no sabonete

Cá estou eu, tentando escrever um post nesse blog mágico, engraçado, lindo de morrer e que todos vocês tanto amam. Assistindo Scott Pilgrim, pensando na vida e decidindo umas coisas, e essas coisas são difíceis.

As últimas 3 ou 4 semanas foram complicadas para a minha pessoa, parecia que a vida estava afim de comer farofa bem em cima de mim, sabe? Estou quase decidindo viver com os meus pais até um deles morrer, dai eu sobrevivo com o seguro de vida e O QUE É ISSO, ISADORA MORAES? Tá, desculpa, todos nós sabemos que isso não acaba bem.

Mamãe e papai esqueceram de avisar que casos envolvendo pessoas ricas sempre são solucionados

Enfim, eu estava pensando em relacionamentos… Se relacionar com as pessoas é difícil, né? Principalmente porque todo mundo gostam de um drama, aquela coisa de fazer joguinhos, cu doce e mimimi’s infinitos. A sinceridade passou de velotrol (opa, faz tempo que não uso essa palavra) e deu um tchau de longe, porque esse pessoal adora falar uma coisa quando quer dizer outra. Sei la, se vocês tivessem alzheimer eu perdoaria, mas fazer essas coisas só pra coitada da pessoa ir atrás, você se sentir amado e numa comédia romântica pastelão é triste.

Esperando o mozão da vida vir me amar sem eu dar sinal algum de que quero isso.

Mas também tem os lindos dos homens que inventaram a ~friendzone~: amigos, se uma mulher diz, com todas as letras, que não quer nada, ela não quer nada. Se ela falar diretamente, mas simpática, ela só não quer te chatear, não quer dizer que ela está de brinks, querendo ver se você realmente está afim, não não não, ela só quer ser legal e não uma pessoa babaca. O problema é que, quando uma mulher age assim, os caras não entendem, insistem e a mulher só consegue se livrar quando é grossa. Dai a infeliz é uma louca, que não sabe o que quer, podia ter falado desde o começo que não queria nada, não precisava ser pau no cu —-> ela falou desde o começo, seu lindo.

Sei lá, o problema são as pessoas. Todos gostam de se fazer de coitados, dizer que não são bonitos ou legais de verdade, (porque assim, os amigos dizem o contrário e a pessoa se sente bem) mas o que acontece é: nós somos egocêntricos e não conseguimos assimilar quando alguém nos rejeita. Pois é, você não é tudo isso que a sua mãe e sua madrinha disseram, amigo.

Gente assim me dá vontade de morrer, além de acharem que são o último biscoito do pacote, são burros pra caralho. (Existe uma teoria do “pra caralho”, está no blog do @robgordon_sp, eu não vou pegar o link direto, sejam grandinhos e usem o search, sei lá) E gente burra me lembra apocalipse zumbi.

Porque né? Em todo grupo de sobreviventes tem a pessoa tapada, aquele ser tão obtuso que você não tem certeza como ainda está vivo, ou tem certeza que ele(a) só não morreu porque o líder do grupo é muito bom. Isso acontece em The Walking Dead (série sobre um grupo de sobreviventes num apocalipse zumbi blablabla, ok) e o último episódio me deixou agoniada, porque três personagens foram tão burros que eu ainda fico com raiva quando lembro deles.

Mas, resumidamente: um dos personagens é uma criança. Essa criança me faz pensar que o mundo tá realmente fodido se ela é o futuro dele, porque todo mundo sabe que [SPOILER] não dá pra sair de baixo do carro só porque a massa principal de zumbis passou, porra. É óbvio que tem os mais lentos que ainda estão vindo, for motherfucker jesus sake. [/SPOILER]

“Crianças conseguem ser mais burras que… Bom, eu.”

 Eu não sou dessas pessoas que odeiam crianças gratuitamente, eu odeio crianças que não usam o pequeno cérebro, assim como eu odeio adolescentes, jovens, adultos e idosos que não usam os respectivos cérebros. Quem não entende que apertar a pasta de dente no meio, em vez de ir apertando do fundo para a frente, é burrice e vai te fazer perder tempo no futuro? Por que é tão difícil entender isso? Se você vai apertando a pasta desde o fundo, quando ela estiver acabando você não vai precisar se matar, apertando de pouquinho em pouquinho o tubo todo, seu idiota.

Enfim, isso é uma das coisas que mais me irritam no mundo, isso e pentelhos/pelos/cabelos no sabonete, mas isso não é assunto pra esse post.

WHYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYY?

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Domingando, ME AMEM, Wait... What?

Aniversários, roupas que somem e DST’s

Aniversário é uma coisa complicada, né? Na verdade é algo polêmico. Tá, não é um assunto tão polêmico quanto mamilos, mas tá quase lá, poxa vida.

“ANIVERSÁRIOS… São polêmicos.”

Enfim, eu estava pensando e aniversários são difíceis. Tem gente que ama fazer aniversário, ficar mais velho, mais responsável e mais respeitável (Não sou eu que to dizendo isso, afinal, quem faz aniversário e fica mais responsável por isso? Por exemplo, o infeliz que faz 18 anos e começa a dirigir por ai bêbado, uma vez que ele já pode dirigir, comprar bebida e é responsável. Aham, a seu pai também). A verdade é que poucas pessoas maiores de 20 anos gostam de fazer aniversário, só os sub20 realmente gostam porque fazer 20 anos, aparentemente, é mágico… Deve ter algo legal em mudar de digito na casa da esquerda. Você é um ~jovem~, você é maior de idade no Brasil, se estiver na faculdade já tá na metade do curso, é um pseudo-adulto que ainda joga bola com os amigos do colegial de domingo e gosta de assistir Dragon Ball Z antes de dormir. Ou uma jovem bonita, estudiosa, que não deixa a mãe jogar fora as Barbies que estão mofando no armário. Além de, na 1ª viagem só com os amigos, pensar incontáveis vezes “minha mãe poderia estar aqui pra encontrar a minha sunga/parte de baixo do biquíni”.

“To com saudade da comida da minha mamain”

Falando nisso, mães tem o dom de encontrar coisas perdidas em casa. Sei la, deve ser um superpoder que você adquire assim que o filho sai pelo meio das pernas, todo ensebado, sangrando e chorando. Por exemplo, um dia uma das minhas camisas do Palmeiras sumiu, eu revirei meu quarto, o guarda-roupa, o guarda-roupa do meu irmão, o cesto de roupa suja, e nada daquela porra de camisa aparecer. “MÃE, QQ CÊ FEZ COM A MINHA CAMISA DO PALMEIRAS?” e ela, toda galante “TÁ LOUCA, MENINA? ACHA QUE EU VOU QUERER O QUE COM A SUA CAMISETA DE PALMEIRAS? PROCURA NA SUA BAGUNÇA, APOSTO QUE TÁ AI” “NÃO TÁ, MÃE, EU JÁ PROCUREI. QUE SACO, VIU. EU COLOCO AS ROUPAS PRA LAVAR E ELAS SOMEM, APOSTO QUE TEM UM BURACO NEGRO NA SECADORA”, dai a coisa fica perigosa, porque ela respondeu “Menina, se eu for ai procurar essa camiseta e encontrar, você vai ver só”. É nessa hora que você decide: é matar ou morrer; se ficar o bicho pega, se correr o bicho come; mas como eu sou rebelde falei “VEM PROCURAR, ENTÃO” e, claro, ela encontrou. “Eu devia te fazer engolir isso aqui pra você aprender a procurar as coisas direito”.

Mamãe Wins

Enfim, eu tava falando de aniversários, desculpem a falta de concentração, é que to ouvindo música, e quando eu escrevo ouvindo música a coisa fica nessa belezinha, porque eu tenho DDA, não muito do mal a ponto de eu ser meio lesada não conseguir me concentrar direito e errar tudo e divagar e esquecer do que eu tava falando olha um passarinho na janela.

Anyway, aniversários: pessoas que gostam de aniversário são parecidas com as que gostam de Natal. Pois bem, eu não gosto de Natal, porque eu acho idiota (pra caralho) todo mundo “feliz” e “unido” porque jesus nasceu. Dai aniversários são parecidos, porque as pessoas são legais com você só porque você nasceu… Tá, eu até gosto de aniversário quando só pessoas que realmente desejam minha felicidade, saúde, dinheiro e sexo, falam isso pra mim. Mas, por exemplo, tem gente que acha desnecessária essa atenção, uma vez que eles não fizeram “nada” pra que merecessem essas coisas, “jesus morreu por nós, enquanto eu não arrumei nem a minha cama hoje” <- Essa é uma boa frase.

Sei lá, eu gosto do meu aniversário porque eu ganho presentes mesmo, e dai? Uma vez que já não curto tanto “envelhecer”. Esse ano eu faço 21, serei maior de idade em to-dos-os-pa-í-ses-do-mun-do-mi-nha-gen-te, mas nem por isso eu to aqui saltitante, já que isso faz a minha formatura, a necessidade de efetivação no trabalho, casamento, filhos etc, mais próximos. PÂNICO PÂNICO. Mas pelo menos eu posso ir para os EUA e comprar bebida, pra beber na rua com a garrafa dentro daquele saquinho de pão. Isso sim é legal.

OBA

Mas tudo bem, você gostando ou não do seu aniversário, ele chegará, te fará mais velho(a), fará mais pressão para que você engate numa carreira, monte uma família e perca cabelos com seus filhos que farão sexo sem camisinha e, com sorte, só pegarão sífilis. (Tá, mentira, envelhecer é legal, você pode proibir seus filhos de praticarem qualquer ato babaca que você já praticou, mas eles vão te desobedecer, quebrar a cara e você dirá “EU TE AVISEI, SEU BONITINHO”)

Deixe um comentário

Arquivado em Domingando, ME AMEM, Wait... What?